volta à home page
PROJETOS :: NAPEDRA :: PROJETO TEMÁTICO 2008-2013
 
“ANTROPOLOGIA DA PERFORMANCE: DRAMA,ESTÉTICA E RITUAL”

Pesquisador responsável:
JOHN COWART DAWSEY

Instituição Sede do Projeto:
DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Número do Processo FAPESP:
2006/53006-2

Vigência do projeto:
01/03/2008 a 30/06/13

Resumo do projeto:

Esta proposta de projeto temático tem uma história originária. Ela surge como um desdobramento da própria história do Núcleo de Antropologia da Performance e do Drama (Napedra) – um dos grupos de estudo e pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da USP – num momento de articulação entre diversos grupos de pesquisa no Brasil voltados aos estudos de performance na antropologia, com destaque à inclusão recente, como membros do Napedra, de professores e alunos do Instituto de Arte (IA), da Unicamp. Nessa interface, onde encontram-se pesquisadores do IA (Unicamp), que aprofundam o seu diálogo com a antropologia, e os do PPGAS (USP), que buscam conhecimentos em estudos de performance, configura-se uma proposta de projeto temático. Cremos que o processo interdisciplinar de elaboração deste projeto temático evoca o próprio surgimento da antropologia da performance, nos anos de 1960 e 1970, quando Richard Schechner, um diretor de teatro virando antropólogo, faz a sua aprendizagem antropológica com Victor Turner, um antropólogo que, na sua relação com Schechner, torna-se aprendiz do teatro. De início, pois, observa-se uma afinidade entre o grupo do IA e os membros originários do Napedra: a elaboração de uma constelação bibliográfica em torno dos estudos de performance de Victor Turner e Richard Schechner.

Os projetos individuais apresentados neste Projeto Temático podem ser vistos como desdobramentos, ou ecos criativos, do diálogo entre Schechner e Turner. Apresentam-se como tranças – uma das noções sugestivas de Schechner – reunindo e, até mesmo, tensionando linhas de estudo a respeito de drama, estética e ritual. São estas as três linhas mestras a partir de quais o Projeto Temático se constitui. Trata-se de diferentes perspectivas para análise de fenômenos da performance.

Os projetos certamente não deixam de revelar tendências quanto às formas de abordar os seus objetos. Escolhas são feitas em relação ao modo de articular as diferentes linhas e perspectivas teóricas. Universos empíricos são definidos e categorias são privilegiadas de acordo com as questões específicas dos projetos. O que chama atenção é a trança que cada projeto elabora na discussão da performance.

As escolhas dizem algo a respeito de como o campo vem se constituindo. O movimento que vai “do ritual ao teatro” (“e de volta”), passando pela discussão do drama social, aqui se expressa. Abordagens voltadas para a análise dos aspectos rituais das performances possivelmente se apresentam com visibilidade maior no conjunto dos projetos. A noção de drama social também aparece de forma marcante, sinalizando a importância dessa perspectiva teórica na configuração do campo. As questões sobre performance estética, que se inspiram em estudos clássicos e recentes, apontam para alguns dos horizontes mais interessantes da discussão contemporânea.

Através do debate interdisciplinar que aqui se propõe, procura-se contribuir para a formação de um campo de pesquisa. Supõe-se, nesse caso, não apenas a relevância da antropologia da performance para o estudo das variadas formas de ação simbólica no Brasil, mas, também, a relevância dessas formas para se repensar questões da antropologia da performance.

Pesquisas

John Cowart Dawsey
Paradigmas do teatro na antropologia

Regina Aparecida Pólo Müller
Performance e corpo em movimento no ritual indígena

Marianna Francisca Martins Monteiro
Oficina: teatro, ritual e política

Ana Lúcia Pastore Schritzmeyer
Identidades sexuais de gênero em julgamento: performances judiciais em processos de alterações de nome

Rose Satiko Gitirana Hikiji
O fazer audiovisual como performance: a produção de imagens e sons no contexto etnográfico

Francirosy Campos Barbosa Ferreira
Uma pesquisadora performer: porque eu não sou muçulmana

Ana Lúcia Marques Camargo Ferraz
A etnoficção e a pesquisa com o circo-teatro

Edgar Teodoro da Cunha
O funeral Bororo: ritual, performance e imagens

Celso Vianna Bezerra de Menezes
Ritos e práticas religiosas na região do Contestado (SC):os herdeiros de um mundo reencantado

Eduardo Néspoli
(O espaço intersecional na performance cênica: conexões entre o xamanismo dos Assurini do Xingu e a arte da performance)

Ana Cristina Oliveira Lopes
A fabricação do grande quinto: um estudo sobre autobiografia e performance na construção da imagem pública do V Dalai Lama e da cosmologia do estado do Tibete

Luciana de Fátima Rocha Pereira de Lyra
(Heroínas de Tejucupapo em performance: a máscara ritual de si mesmo no desenvolvimento de mitologia em artes cênicas)

João Luis Uchoa de Figueiredo Passos
A roda da capoeira angola no mundo globalizado: fluxo, jogo e liminaridade

Jania Perla Diógenes de Aquino
Espelho mágico: etnografia da performance em um assalto contra instituição financeira

Carolina de Camargo Abreu
A experiência do social no universo das raves

Giovanni Cirino
Representações e imagens: uma etnografia da congada de Ilhabela

Danilo Paiva Ramos
Nervos da terra: narrativas, trabalho e política em assentamento do MST

Alice Villela
Entre a antropologia e o cinema documentário: a dança nos rituais dos Assurini do Xingu

Adriana de Oliveira Silva
A folia do divino: experiência e devoção em São Luis do Paraitinga e Lagoinha

Ana Goldenstein Carvalhaes
Alteridade e experiência na obra de Renato Cohen: a persona performática

Marcos Vinicius Malheiros Moraes
A “pedagogia do xamã” e o “palhaço da aula”: elaborações das experiências e tensões nos rituais na escola

Ana Letícia de Fiori
Constelações, terror e reparação: uma etnografia benjaminiana do encontro das narrativas no julgamento do “caso Aline”