Aconteceu no LISA

Online

Mostra Itinerante de Filmes do Prêmio Pierre Verger - ABA

O Lisa-GRAVI (USP), em parceria com La’Grima (Unicamp), o Sensolab (Javeriana), Labareda (UFPB) realizam a Mostra Itinerante de Filmes do Prêmio Pierre Verger - ABA.
Até 1 de julho os filmes vencedores da edição de 2020 poderão ser assistidos online mediante solicitação de inscrição pelo e-mail: lagrimaifch@yahoo.com.br

O debate com realizadores/as convidado/as e a Conversa Aberta (veja programação completa no cartaz) acontecerá no dia 1 de julho com início às 10 horas.
Toda a programação acontecerá via plataforma zoom.

O acesso à sala zoom se dará por meio do link:
https://us06web.zoom.us/j/81148472207?pwd=SkpGbHJHTFBvN041TVRtVmt5Y3AwU…
ID da reunião: 811 4847 2207
Senha de acesso: 455948

-
Canal Musicar Local

O projeto temático Musicar Local e o grupo Pesquisas em Antropologia Musical (PAM) convidam para o Seminário Internacional Musicar Local, a realizar-se em 30/06 e 1º/07 on-line.

O evento marca os 6 anos do projeto temático e tem por objetivo mostrar e celebrar a produção realizada pelos seus membros, além de construir juntamente a pesquisadores convidados/as uma reflexão crítica sobre a abordagem desenvolvida.

A inscrição é facultativa e gratuita! Acesse: https://www.even3.com.br/musicarlocal2022/

Todas as atividades serão transmitidas pelo Canal Musicar Local no Youtube.
Link: https://www.youtube.com/channel/UC56k45ocvHVGFckAu8EIG-Q

Mais informações no site: https://sites.google.com/unicamp.br/musicarlocal

Apoio:
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (IA-UNICAMP)
Instituto de Estudos Brasileiros (IEB-USP)
Departamento de Antropologia da FFLCH-USP
Pesquisas em Antropologia Musical (PAM)
Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA)

-
Centro Cultural Afrika (Rua Major Diogo, 518, Bela Vista).

O LISA divulga o Festival Musiques D’Afrique, que realizará a exibição do filme Afro-Sampas.

O evento acontecerá do dia 20 ao dia 25/05 no Centro Cultural Afrika (Rua Major Diogo, 518, Bela Vista).

“O festival é um evento de celebração desse dia histórico para todos os povos africanos,

Nesse ano a celebração será ainda mais significativa por que vai rolar num espaço Afrikano fundado e dirigido por um afrikano, Maio é para exibir a nossa diversidade cultural africana, uma visão ancestral da União e celebração. Nada melhor que comemorar o mês de África no centro cultural Afrika com uma super programação Cultural de dia 20 a 25/05 com muita música, dança, poesia , performance e filmes, se liga no cronograma das atividades”

Entrada gratuita!

Auditório do LISA - Laboratório de Imagem e Som em Antropologia.

O PAM - Pesquisas em Antropologia Musical convida para a apresentação da etnografia e da série de filmes Sensorhythms, realizadas pelo pós-doutor Mihai Leaha. Na terça-feira, 26/04, às 16h, no Auditório do LISA - Laboratório de Imagem e Som em Antropologia. Rua do Anfiteatro, 181, colmeias, favo 10.

-
Biblioteca Mário de Andrade

Datas: 30/03 a 01/04/22 na Biblioteca Mário de Andrade.

1o dia - 30/03

17h00 - Cerimônia de Abertura

Fala de abertura: Suzel Reily – Musicar local e patrimônio

17h30 – Mesa Registros

Renata Amaral - O que lembro, tenho – 30 anos do Acervo Maracá
Luciana Rosa - O choro como patrimônio: memórias e registros do choro paulistano
Isabel Santos - O papel dos detentores na oficialização de registro do seu saber como
patrimônio imaterial: o caso do forró
Lorena Avellar de Muniagurria - comentadora

2o dia - 31/03

17h30 – Mesa Trânsitos

Kelwin Marques - Batucando-Cantando-Dançando: um Ouro do Congo na cidade de São
Paulo (ensaio visual)
Mariana Teófilo - Imigração boliviana e suas práticas: musicando o Altiplano em São
Paulo
Rose Satiko Gitirana Hikiji - Heranças e invenções – musicar o patrimônio africano em
São Paulo
Brisa Flow – Intervenção
Klaus Wernet - comentador

3o dia - 01/04

17h30 – Mesa Palcos

Mihai Andrei Leaha - Palcos na Rua, espaços e imagens da cena independente de música
eletrônica de São Paulo (ensaio audiovisual)
Julio Stabelini - Novo Anhangabaú: o skate vale o palco
Meno del Picchia - Um musicar dos paredões - fronteiras sonoras da quebrada
Chapinha (Samba da Vela) – São Paulo, lugar de encontros
Luis Henrique Toledo - comentador

20h – Cerimônia de encerramento

Show: Yannick Delass

Galeria Vermelho | Rua Minas Gerais, 350 - São Paulo/SP

Lançamento com bate-papo com Yara Schreiber Dines (Gepac/Unesp Araraquara) e Heloísa Buarque de Almeida (USP)

O livro de Yara Schreiber Dines aborda uma ampla variedade de olhares e diferentes tendências de linguagem, apresentando a produção mais de 60 mulheres fotógrafas, desde o início do século 20 até a atualidade. As imagens vêm acompanhadas de informações sobre a trajetória única de cada fotógrafa e de ricos exertos de depoimentos, registrados exclusivamente para o livro que procura situar essa produção no âmbito da memória, de gênero, da antropologia visual e da história da fotografia. Em suas 256 páginas, a obra descortina este panorama inédito da fotografia feminina e substantiva no Brasil. 

O livro é editado pela Grifo Projetos, realização da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, conta com o patrocínio de BNP Paribas, apoio do Instituto Moreira Salles e Lei de Incentivo à Cultura.

online

Este ano o V Ciclo de Debates sobre Processos Psicológicos & Culturais em Temas Emergentes, do GRACIAS e o Programa de Pós-graduação em Psicologia da FFCLRP - USP, será aberto por Sylvia Caiuby Novaes - "SOBRE O AFETO NO OLHAR DE TRÊS MULHERES" , Sylvia é professora titular na área de Antropologia da Imagem na Universidade de São Paulo (2010), onde leciona desde 1974. Bacharel e licenciada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1971), defendeu também na USP seu mestrado em Antropologia Social (1980), doutorado (1990) e livre docência (2006). Fez pós doutorado na University of Manchester (Inglaterra) e na University of Saint Andrews (Escócia). Foi Professora Visitante no Musée du quai Branly (França) e na University of Oxford (Inglaterra). Fundou o LISA - Laboratório de Imagem e Som em Antropologia, sob sua coordenação entre 1990-2014 e desde 2016. Foi a coordenadora principal de três projetos temáticos financiados pela FAPESP. (1997-2002; 2003-2007; 2010-2015). Atua na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia das Formas Expressivas, Antropologia da Imagem e Etnologia Indígena. É pesquisadora do CEstA - Centro de Estudos Ameríndios, desde sua fundação. Suas publicações tratam de temas como: antropologia visual, fotografia e cinema no mundo contemporâneo, etnografia e imagem, a sociedade Bororo. Foi chefe do Departamento de Antropologia da FFLCH da USP (1999-2003; 2007-2009). Entre 2014 e 2016 foi Diretora do Centro Universitário Maria Antonia. Editora responsável da revista GIS - Gesto Imagem e Som, Revista de Antropologia.

-
online

Via Zoom - bit.ly/napedra

No Youtube - https://www.youtube.com/channel/UCcmmeOVL_9x0NvUivBOf6Yg

Programação Completa

Em 2001, a partir da iniciativa dos participantes de uma disciplina optativa do PPGAS/ USP, interessados em explorar uma série de questões além do âmbito disciplinar, surge o Napedra. A disciplina se chamava Paradigmas do teatro na antropologia. Decidimos aprofundar nossos estudos nas interfaces de antropologia e performance, alternando estudos de textos relevantes à antropologia da performance com experiência em campo de eventos performáticos.

Coordenado por John C. Dawsey, o Napedra surge do encontro de antropólogos em busca de conhecimentos produzidos nas oficinas de arte, com artistas em busca dos saberes associados ao ofício dos antropólogos. Trata-se do primeiro núcleo de pesquisa em antropologia e performance no Brasil.

Sismologia da performance. O Núcleo de Antropologia, Performance e Drama (Napedra), cuja sigla evoca uma imagem geológica, nasce dos ecos de um movimento sismológico no próprio campo da antropologia. Nele ressoam os sons e ruídos de uma “virada performativa” na antropologia, que se inicia nos anos 1970, envolvendo um número significativo de pesquisadores.

Entre as artes e as ciências, o conceito de performance adquire formas variadas, cambiantes e híbridas. Há algo de não resolvido neste conceito que resiste às formulações definitivas e delimitações disciplinares. A partir de diferentes campos do saber e expressão artística – teatro, música, artes performativas, antropologia, sociologia, psicanálise, linguística, estudos decoloniais, feminismo, teoria queer – formula-se o conceito de performance.

-
LISA/USP - Evento Remoto

​​​​​​​Celebrando 30 anos de criação do Laboratório de Imagem e Som em Antropologia (LISA) do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo, durante o mês de novembro de 2021 o GRAVI - Grupo de Antropologia Visual - realiza o eventoEntre mundos: filmes etnográficos, colaborativos e cinemas indígenas em diálogo.

O evento é composto de três rodas de conversa e uma mostra de filmes produzidos no âmbito das pesquisas antropológicas com o apoio do LISA e distintas produções da América do Sul, as quais expressam trabalhos feitos por, sobre e com os povos indígenas.  ​​​​​​​

1. Circulações de cinemas indígenas, que reúne produtores, diretores e coletivos indígenas que tratam dos desafios que permeiam os filmes indígenas, sobretudo no âmbito de sua circulação; 

2. Produções e processos colaborativos, que destaca os distintos fazeres fílmicos partilhados no âmbito das formações de realizadores indígenas; 

3. Filmes Etnográficos: pesquisa e formação, que aborda a produção fílmica sobre os povos indígenas realizada no âmbito da investigação acadêmica com foco na relação entre a universidade e os povos indígenas.

Cada programa da mostra conta com uma roda de conversa da qual fazem parte diretoras e diretores oriundos de coletivos indígenas, instituições e universidades, além de um pesquisador do GRAVI que investiga temas afins.

PROGRAMA DA MOSTRA DE FILMES:

ATENÇÃO: Os filmes estarão abertos entre 1 e 30/11/21

Programa 1 - Circulações de Cinemas Indígenas
​​​​​​​Programa 2 - Produções e Processos Colaborativos
​​​​​​​Programa 3 - ​​​​​​​Filmes Etnográficos: pesquisa e formação

PROGRAMA DAS R​​​​​​​ODAS DE CONVERSA

Abertura: Paula Morgado (LISA/USP)

05/11/21, 17h00
Circulações de Cinemas Indígenas

https://youtu.be/B9Qk1ylr_Gk

Mediação: Ana Lúcia Ferraz (Antropóloga e realizadora/GRAVI/USP)​​​​​​​

  • David Hernández Palmar (Realizador Wayuu, curador e coordenador da Clacpi – Coordinadora Latinoamericana de Cine y Comunicación de los Publos Indígenas) 
  • Patricia Yallico - (Realizadora quechua equatoriana – ACAPANA - Asociación de Creadores del Cine y el Audiovisual de Pueblos y Nacionalidades)
  • Alberto Alvares Tuparay (Realizador guarani, mestrando em cinema UFF)
  • Ivan Molina (Realizador quéchua boliviano, Escuela de Cine y Artes Audiovisuales de La Paz)​​​​​​​

12/11/21, 17h00
Produções e Processos Colaborativos

Evento remoto: Youtube

Live de lançamento do Volume 6 da GIS - Gesto, Imagem e Som - Revista de Antropologia com a participação da editora do volume, Francirosy Barbosa, as organizadoras do dossiê Musicar Local, Erica Giesbrecht, Rose Satiko Hijiki e Vi Grunvald, e os autores Suzel Ana Reily (Unicamp) e Jean dos Anjos (LAI/UFC).

Transmissão ao vivo: https://youtu.be/1wzefwSrLNI

O volume 6 da GIS conta com artigos, ensaios, traduções, resenhas, além da seção In Memoriam e Achados na Rede.